Clarice Lispector

"O que eu sinto eu não ajo. O que ajo não penso. O que penso não sinto. Do que sei sou ignorante. Do que sinto não ignoro. Não me entendo, e ajo como se me entendesse."

domingo, 24 de julho de 2011

Não se vá


Nunca pensei ter que escrever desta forma. 
Nunca quis que chegasse a este ponto
E ainda não quero que você se vá.
Quero que você fique aqui, tão perto de mim.
Não, por favor, não se vá.
Em prantos, te peço
Se ainda puder ouvir as batidas do meu coração,
Não se vá!
Eu não pensei que fosse ficar tão triste por isso
Mas foi bem mais forte do que eu
Novamente, fui fraca
Mas prefiro ser fraca a perder você
Prefiro que não me veja aqui
Mas, ainda assim que não me deixes só
Não vou repetir aquelas palavras se você não quiser
Mas se for preciso gritarei ao mundo inteiro que te amo
Pra que você não vá embora.
E nesse instante
Ao ver que tantos não acreditam mais em você
Até consigo compreender que você queira ir
Mas ainda assim não quero, não se vá
Foi você quem me ensinou a ser assim
E agora, o que vou fazer?
Farei o que for preciso
Só não me peça pra te esquecer


sábado, 16 de julho de 2011

Dez coisas que mais gosto

A Sam, do Mind's Ways, indicou-me esse tag.


Antes de respondê-lo, as regras:

- Divulgar quem passou a tag.
- Postar dez fotografias com as coisas que mais gosta.
- Indicar blogs para participar.

Deus


Família


Amigos


Música


Escrever


Fotografar


 Química



Sentimentos


Desafios


Curiosidades





- Passo para:
Marcos de Sousa ( O mundo sob o meu olhar )
Juliane Bastos ( O que um coração sente )
Alana Araujo (Sem intenções )
Ana Karine ( ...Viver e não ter a vergonha de ser feliz... )


PS: Não só passo esse Tag, mas também SUPER INDICO esses blogs.



terça-feira, 12 de julho de 2011

Clarice Lispector


Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.



quinta-feira, 7 de julho de 2011

O tempo


O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que tem medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno.


William Shakespeare

Por que ainda não sabes quem eu sou?

Eu não sou a imatura, infantil, ou coisas do tipo que "todos" imaginam
Ou pelo menos que você tem imaginado muito que eu seja
Do tipo que não tem ideia própria
Ou que é super bobinha
Tudo bem se você quer acreditar nisso
Mas quando eu disser o que eu realmente penso:
"Não se surpreenda"
Por que eu nunca disse que sou a melhor pessoa do mundo
Mas uma coisa eu disse e repito
Te amo, criança.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

"O vírus do amor ao livro é incurável, e eu procuro inocular esse vírus no maior número possível de pessoas."
JOSÉ MINDLIN - Bibliófilo e escritor brasileiro

sábado, 2 de julho de 2011

Deixe Fluir

Deixar que no deslize da pena,
desenhe-se letras combinadas,
formas, sentidos, cores,
palavras bem traçadas
contando de outros,
histórias de amores,
desditas, enganos,
versados nas rimas,
que no papel dançam
sonhos imaginados
em poemas contados.

( Reblogado de um comentário de Fractais de Calu)

Aos amores

Aos carentes de um amor verdadeiro
Aos amantes da vida
Aos "românticos insaciáveis"
Lembrem-se:
Palavras sábias de pessoas tolas
também são conselhos a seguirem
Ouçam as palavras da voz de um coração
Que grita
Grita para ser ouvido
Grita para tornar silencioso o choro
Daquele que tanto ama
Amor de amigo
Amor de amante
Amor insasiavel
Que quer calar a voz dos que o fazem mal
Por que quando o amor se transforma
Esquecemos que um dia amamos
Porque o amor não acaba
Não se deixa de amar um amigo
Não se deixa de amar um amor
Só o que muda é a visão do apaixonado
Que deixa de ver colorido
Porque esquece
Que amar é aprender a viver
E que viver só faz sentido ao descobrir o amar
Amor é tudo
É o vento na brisa do mar
É o sol escaldante do deserto
É a poeira que não se pode alcançar
Não se pode domar
Tão pouco controlar
Assim como a poeira
Levada pelo vento
E refletida ao sol
Do amor não se corre
Nem oposto, nem em direção
Engano comete quem acha que o pode alcançar
Deixe-o livre
Voando...
E ele virá
Como a andorinha que busca seu ninho
Como o exausto ao descanço procura
Ele virá...
E irá de encontro ao seu coração
Ah... Quando ele encontrar o seu ninho
E em repouso descansar
Não espere nada em troca
Ame por amar
Viva por viver
Sem medo de entender o que amar
Porque amor não se ensina, não se corrige
E nem recebe nota
Amor é como a musicalidade
Que não se alcança
É como o tom inalcansável
Que almejamos simplesmente senti-los dentro de nós
É o acorde silencioso
Que ecoa em corações apaixonados
Insaciavelmente apaixonados